Arquivo da categoria: Escritor

siseneG

siseneG

Microconto que Arthur C. Clarke enviou para a revista Analog em 1984. Como deixou claro em uma nota, foi seu único conto em 10 anos e não poderia ser mais curto. 🙂

siseneG

“E Deus disse: REMOVA as linhas Um até Aleph. CARREGUE. RODE.
E o Universo deixou de existir.

Então ele pensou por alguns éons, suspirou e acrescentou: APAGUE.
O Universo nunca existiu.”

Fonte

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Citações, Escritor, Ficção científica

Juvenatrix 136

Juvenatrix, de Renato Rosatti, é um fanzine voltado para o universo fantástico, ou seja, o Horror e a Ficção Científica em todas as suas manifestações artísticas como o cinema, literatura, quadrinhos, ilustrações, através de contos, artigos, resenhas ou textos diversos.

Nesta edição:

  • Banda de Heavy Metal Decapitated
  • Biografia do artista Erik Muller Thurm
  • Homenagem a Ray Bradbury

E também contos de:

  • Rynaldo Papoy
  • Ronald Rahal
  • Miguel Carqueija

E, ainda, resenhas dos filmes:

  • Corrida Silenciosa
  • Terra Tranquila

E muito, muito mais!

Para adquirir seu exemplar digital, solicite diretamente a Renato Rosatti, pelo e-mail: renatorosatti@yahoo.com.br

Deixe um comentário

Arquivado em Divulgação, Escritor, Fantasia, Ficção científica, Terror

O retorno de Megalon!

Megalon, inimigo de Godzilla. Arte de TheFavs.

Não, não! Não é esse Megalon que estou falando!

Trata-se na verdade de uma publicação amadora de ficção científica, horror e fantasia que circulou entre 1988 e 2004. O premiado Megalon foi um dos fanzines mais antigos e importantes no Brasil e agora, graças à iniciativa de Marcello Branco, um de seus idealizadores, volta em edição digital desde o número um!

Arte da capa de Roberto de Sousa Causo.

Como o próprio Marcello diz: “Digitalizar o “Megalon” (e os outros fanzines) é uma forma eficaz de preservar a memória do fanzine e, por extensão, de parte importante da ficção científica brasileira dos anos 1980 e 1990.”

Para adquirir seu exemplar, solicite através do próprio e-mail de Marcello: marcellobranco@ig.com.br

Deixe um comentário

Arquivado em Divulgação, Escritor, Fantasia, Ficção científica, Terror

Chegou o meu 2013 Ano Um!

Chegou meu exemplar do livro 2013 Ano Um, das editoras Ornitorrinco e Literata!

Adquira seu exemplar através do e-mail: ornitorrinco.editora@gmail.com

Em breve na Saraiva, Cultura e Laselva!

Mais sobre o livro aqui!

Deixe um comentário

Arquivado em Escritor, Ficção científica, Livros

2013 – Ano Um

Meu conto inédito “A Imagem do Homem” foi selecionado para a antologia2013 – Ano Um, uma iniciativa das editoras Ornitorrinco e Literata.

Segue abaixo a lista de todos os escolhidos para a antologia:

Paulo Froda (Projeto Olimpo)
Daniel Tréz (Irmãos do Espírito)
A. Z. Cordenonsi (A Rapineira)
Carlos Relva (A Imagem do Homem)
Josué Oliveira (Reino)
João Rogaciano (Sempre o Sol)
Marcelo Bigheti (O Retorno)
Sandro Quintana (Os Filhos do Dragão)

Todos os contos trazem visões de um mundo pós-apocalíptico.

Nossos trabalhos se juntarão aos dos autores convidados:

Roberto de Sousa Causo
Gerson Lodi-Ribeiro
Tibor Moricz
Ana Lúcia Merege
Ademir Pascale
Duda Falcão
Adriano Siqueira

Meus parabéns a todos os escritores selecionados para a antologia! 🙂

A antologia “2013 – Ano Um” é organizado por Alícia Azevedo e Daniel Borba.

1 comentário

Arquivado em Escritor, Livros

Alan Moore

Alan Moore

Talvez Alan Moore não seja um ser vivo, mas uma força da natureza. Invocado pela primeira vez em 18 de novembro de 1953, esse singular roteirista viveu toda sua vida em Northampton, Inglaterra.

O subúrbio industrial cinza e soturno de sua infância não parece o plano de fundo ideal para aflorar a imaginação. Mesmo assim, foi a fonte, juntamente com os quadrinhos norte-americanos, de onde tirou sua prodigiosa imaginação.

Claro, outros artistas merecem a mesma importância. Mas Moore é único em sua gestão criativa. Afinal, enquanto escreve, brinca de ser sério com tal seriedade que convence a todos!

E seus brinquedos? As tramas mirabolantes e geniais, e os pobres heróis e vilões que caem sem suas mãos.

Mas Moore não é um deus supremo. É parte do jogo que ele mesmo cria. E nisso está toda a graça de sua brincadeira: descobrir com os personagens onde tudo vai chegar…

Duvida que Moore seja um brincalhão? Mesmo quando sabemos que resolveu se tornar bruxo, para não virar um quarentão chato e intelectual?

Deixe um comentário

Arquivado em Escritor